• Eduardo Oliveira

Análise - Governança Corporativa em Startup - Aplicar ou não?

Qual a importância de Governança Corporativa para uma Startup? Quando devo adotar práticas de Governança Corporativa em minha Startup?


Saindo mais uma análise a respeito de startups e seus mecanismos jurídicos, sempre com o intuito de informar a nosso leitor sobre as diversas ferramentas jurídicas disponíveis e sua aplicabilidade no âmbito das startups.


Inicialmente vale esclarecer o conceito do que é governança corporativa, um conceito bastante volátil, vez que pode ser analisada sob vários prismas, sendo por exemplo um aplicável ao advogado que não será aplicável a um administrador ou contador.


Diante disso, vale a pena adotar a conceituação criada pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa:


“Governança corporativa é o sistema pelo qual as organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre proprietários, Conselho de Administração, Diretoria e órgãos de controle. As boas práticas de Governança Corporativa convertem princípios em recomendações objetivas, alinhando interesses com a finalidade de preservar e otimizar o valor da organização, facilitando seu acesso a recursos e contribuindo para sua longevidade. (IBGC, 2009, p.19)”


Ou seja, a Governança Corporativa nada mais é que a adoção de princípios e recomendações objetivas que visam trazer maior transparência ás relações corporativas, gerando assim maior confiabilidade perante clientes, investidores e o mercado em geral.


Mas frente ás startups, qual a importância de boas práticas de Governança Corporativa? Sempre será necessária a Adoção de Mecanismos de Governança?


Práticas de Governança Corporativa inegavelmente são muito positivas, tendo em vista que geram uma maior descentralização na tomada de decisões e consequentemente uma maior pulverização nesse estágio.


Entretanto, quando tratamos de empresas que possuem relações internas complexas, divisão de processos em departamentos e grande quantidade de funcionários é inegável a necessidade dessas práticas, mas será que a governança para uma startup é necessária?

Nossa resposta é “depende”.


Vale lembrar que uma startup é marcada pela redução de processos burocráticos, estruturas rígidas e dedicação á inovação, diante disso, tudo dependerá do estágio da startup, de sua estrutura e necessidades.


A adoção de procedimentos burocráticos demais pode travar o andamento e crescimento de uma startup, fazendo-a morrer.


Nesse sentido, é de grande importância o acompanhamento de um profissional quando da implementação de quaisquer ferramentas em uma startup, buscando sempre resguardar-la juridicamente porém sem barrar seu crescimento.


Pode-se concluir que a adoção de práticas de Governança Corporativa pode ser altamente produtiva para uma startup, entretanto deve ser analisada com cautela, e sempre com a ajuda de profissionais especializados na tomada de decisões.


Até a próxima semana!


Caso tenham sugestões ou dúvidas, deixe nos comentários, estaremos dispostos á responder.

0 visualização

Siga

Contato

(62) 99101-4830

(62) 98627-4431

Endereço

Av. 136, nº 761, 11º Andar, Edificio Nasa Business Style- St. Sul, Goiânia - GO, Brasil

©2018 by Eduardo Oliveira Advocacia e Consultoria. Proudly created with Wix.com